sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Um grande abraço

Estou me despedindo do trabalho ministerial nesta paróquia. Portanto, também dos cuidados referentes ao blog. É minha última postagem. Porém, aguardemos para conferir a continuidade do blog. Ficará a cargo do novo pastor chamado à paróquia. De minha parte agradeço a Deus por este espaço e pelos leitores que por aqui passaram. Deus abençoe. Um grande abraço.
Pr. Cézar C. Kaiser

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Ano Novo que já ficou velho

O que mais virá neste ano que já ficou velho? “Não há nada de novo neste mundo”, já disse o sábio três mil anos atrás. Por isto a conclusão: “Todas as coisas levam a gente ao cansaço” (Eclesiastes 1.8). Sim, já estamos sem fôlego no começo, cansados em ver e ouvir tanta coisa ruim. E mesmo assim não querendo acreditar que “tudo é ilusão” (1.2). Ilusão do paraíso que virou inferno. Olhei as fotos da pousada Sankay em Angra dos Reis antes e depois da tragédia. A vida humana é assim. Se as avalanches não soterram sonhos e projetos em segundos, desfazem-lhes lenta e progressivamente em poucos anos. Qual a diferença quando tudo tem o mesmo destino? É só comparar as nossas fotos atuais com as amareladas, aquelas do tempo quando éramos jovens. Parece que foi ontem, resmungamos. Mas o Senhor Calendário não discute nem manda recados. Terrível mesmo quando surge a Senhora Tragédia. Inesperadamente, sem aviso prévio, no meio da noite sob o assombroso estrondo de um morro que despenca, ou de cima de uma ponte que cai, ou num acidente de carro, num afogamento... A dita cuja nem está aí com nossos votos para “que tudo se realize no ano que vai nascer”. Ela simplesmente aparece proclamando o que teimamos apagar da lembrança: “Estamos em perigo de morte o dia inteiro” (Romanos 8.36).

Mas então, como seguir adiante? Fazendo de conta que tudo é um eterno réveillon? Isto só piora as coisas. Precisamos de base, de solidez. Ouvi de um especialista que avalanches deste tipo em Angra acontecem em grande parte porque a base do morro é comprometida. Ora, isto é em tudo. A sociedade está se desmanchando porque a família ruiu. A família está rolando morro abaixo porque o casamento se foi. As relações humanas estão deteriorando porque o respeito não existe mais. E se o assunto é fé, Jesus é pontual: “Quem ouve os meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rocha” (Mateus 7.24,25).

Precisamos de ajuda, pois estamos nas encostas dos montes e não temos para onde fugir. Mas, “olho para os montes e pergunto: De onde virá o meu socorro? ” A resposta é oportuna: “O meu socorro vem do Senhor Deus, que fez o céu e a terra” (Salmo 121.1,2). Por isto “não teremos medo, ainda que a terra seja abalada e as montanhas caiam nas profundezas do oceano” (Salmo 46.2). “Pois eu tenho a certeza que nada pode nos separar do amor de Deus: nem a morte, nem a vida (...) nem o presente, nem o futuro” (Romanos 8.38). É o único jeito de encarar o ano novo que já ficou velho...


Pastor Marcos Schmidt
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

A origem do Novo


O Advento é para o Natal e o Natal é para o ano novo. Logo, se não há advento não há natal, e se não há natal não há ano novo. Aliás, novo sugere surpresa, novidade e alegria. O que posso esperar de novo no ano novo?
Ano após ano mais parece que tudo se repete. Festeja-se a chegada de um ano novo desejando-se paz, prosperidade e saúde. Entretanto, quando o ano corre, corremos também... da violência, ao banco fazer empréstimo ou para as longas e intermináveis prestações, e ao médico. Onde está o novo? A paz, prosperidade e saúde? Eclesiastes está certo! (1.9-10): “O que foi é o que há de ser; e o que se fez, isso se tornará a fazer; nada há, pois, novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Não! Já foi nos séculos que foram antes de nós”. Buscar o novo, portanto, em algo velho, não será nada mais do que um “enfadonho trabalho” e “correr atrás do vento” (Ec 1.13-14).
Vê-se que enquanto a busca está entre os homens e em sua sabedoria, nada de novo poderá ser achado. Foi por isso que o anjo disse a Maria: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus.” (Lc 1.35). Não é dos homens que vem o novo! “...vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho” (Gl 4.4). O novo não será encontrado procurando no que é velho e seguindo seu modelo. O novo veio de fora, e ainda hoje vem. Eis a razão dos anjos cantarem “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem” (Lc 2.14): “é que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc 2.11). Este é o novo. É surpresa, de Deus para nós. É novidade que gera alegria. É o novo que gera o novo. “se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (2 Co 5.17). Porque “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo” (2 Co 5.19). Este é o novo que renova a cada Palavra sua guardada no coração (Lc 11.28) e a cada mesa partilhada sob seu convite (Santa Ceia). Este é o novo que anuncia mais surpresas e novidades ainda para suas “novas criaturas”: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Co 2.9).
Roupas de certas cores, determinadas comidas, ondas puladas, fogos estourados, oferendas ao mar, etc, onde está a novidade? Tudo isso é tão velho quanto o mundo e sua corrupção. Novidade é o Advento que anuncia! Esta é a razão do Natal e do ano NOVO .
Louvemos a Deus por mais um ano novo “novo”. Como diz o Salmo 65: É Deus que coroa o nosso ano com bondade. Feliz ano novo!

Rev. Cézar C. Kaiser - IELB
Taió, dezembro de 2009.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Congresso Mirim

Dia 22 de novembro aconteceu o Congresso de Crianças, com a participação da Paróquia de Taió (que foi a anfitriã neste ano), e a Paróquia de Ituporanga. Foi um belo e divertido encontro. Aí estao algumas imagens para registro. Agradecemos a Deus pela oportunidade. Às professoras de Taió deixamos os parabéns e nossa gratidão pelo empenho e organização do evento. Esta arca ao lado contém os animaizinhos elaborados pelas crianças do congresso, onde cada criança elaborou um e o colocou na arca.



























quinta-feira, 19 de novembro de 2009

O barulho da violência


A violência é algo que faz barulho! Os noticiários televisivos fazem questão de aumentar o áudio e deixar que o povo escute o som dos tiroteios no Rio de Janeiro.
Há cidades onde não se ouve metralhadoras, no entanto o barulho da violência também se faz presente, ainda que seja apenas na batida forte e descompassada do coração do povo. Um som igualmente forte: O ruído do medo!
Em Canoas, a violência divulgada recentemente não possuía o barulho de tiros, antes o silêncio de nenês sedados para morrer. Ato silencioso, mas igualmente violento.
Na cidade de Pelotas os homicídios e assaltos ganham números sonoros em 2009. Algo realmente impressionante. Assim poderíamos continuar citando o nome de cada cidade. De quem é a culpa? De quem vende crack? De quem consome? A culpa é das famílias desestruturadas? De quem é a culpa?
A culpa é de cada um de nós. A culpa é minha e tua também. Afinal estamos deixando o mundo seguir rumos catastróficos. A violência, a poluição, o aquecimento global não são provocados por alguns, mas por todos. Quem somos nós para criticar os corruptos quando aceitamos pequenos subornos? Agredimos com palavras, violentamos com omissões.
Todos nós fazemos parte da banda que toca o som da violência. Desesperançoso é saber que um dos lugares de maior barulho são as escolas. É violência na veia dos pequenos. O que será do futuro? Como os ouvidos humanos agüentarão tantos decibéis.
Que Deus nos ajude e nos motive a tocarmos pela Paz.
Jesus ofertou seu corpo, para sofrer a “violenta” morte de cruz e clamar do alto dela pelo perdão do Pai. A Paz começa com o perdão e começa num milagre divino, lá dentro do coração, depois vai para o externo, vai para o lar, vai para a rua, vai para o bairro e para cidade. Quem quer tocar essa melodia? Quem quer cessar o som da violência?
Eu sei que é muita gente. Mas, como fazer isso? Devemos começar trocando o maestro. O barulho descompassado da violência se dá porque cada qual quer reger a vida dos outros. Jesus é o único caminho, verdade e vida. Ele deve ser o maestro. Olhemos para ele. Confiemos em seus movimentos e toquemos juntos agradáveis melodias da Paz.

Pastor Ismar Lambrecht Pinz
Comunidade Cristo Redentor,
18/11/2009 Três Vendas, Pelotas, RS

domingo, 25 de outubro de 2009

A Rosa de Lutero

Você sabe o significado da Rosa de Lutero?
Este é o símbolo maior da Reforma Luterana. O significado de cada uma das partes da rosa é:
• A cruz preta: lembra os nossos pecados que levaram Jesus a morrer na cruz por nós (1Pe 2.24; 1Jo 2.2).
• O coração vermelho: é a fé, operada pelo Espírito Santo, através da qual recebemos o perdão que Cristo conquistou por nós. Diz Lutero: “De coração devemos crer no Cristo crucificado para obtermos a salvação”. Assim, este é o coração lavado pelo sangue de Jesus derramado em nosso favor (Rm 10.9).
• A Rosa branca: lembra a santidade e pureza de Cristo; e que por meio da fé, é concedido ao que crê. Cristo nos concede Vida, alegria, consolo, e a Paz que excede todo entendimento (1Jo 1.7; Ap 7.14; 22.14; Mt 5.8).
• As folhas verdes: nossa esperança da vida eterna – que temos em Cristo – e o crescimento da família de Deus, que permanece unida ao Senhor e Salvador Jesus (Ef 2.21; Cl 2.19; 1Pe 2.2).
• O fundo azul: lembra o que Jesus conquistou; e que os seguidores de Cristo esperam – a vida feliz e eterna no céu (Rm 5.2; Cl 1.5; Tt 3.7; 1Pe 1.3).
• O círculo dourado: lembra a aliança que Deus fez conosco baseado no sangue que Jesus derramou na cruz. Esta aliança nos concede uma Vida Eterna que assim como a circunferência não tem fim. Lembra também a eternidade do próprio Deus. O dourado destaca que a salvação é válida acima de todas as posses (Lc 22.20; Mc 14.24; Cl 1.20; 1Co 11.25; Hb 13.20; ).

Reforma Luterana

Dia 25 de outubro, a Paróquia realizou um encontro para lembrar e celebrar a Reforma Luterana, em especial a parte de ensino e didática. Esteve presente o Pastor e Professor Clóvis Jair Prunzel - professor do Seminário Concórdia, que dirigiu uma palestra sobre os 480 anos do Catecismo e sua aplicação à vida cristã no seu dia-a-dia. Foi de grande proveito. Abaixo algumas fotos do acontecimento.

Reforma Luterana - Graças a Deus que desperta seus servos.




















sábado, 29 de agosto de 2009

Município em Luto


Nesta sexta-feira, dia 28 de agosto de 2009, às 21:30, aos 72 anos, veio a falecer o Prefeito Municipal de Taió, Sr. HORST GERHARD PURNHAGEN.

Diz o Apóstolo Paulo que as autoridades foram constituídas por Deus para o nosso bem, e como tal merecem nosso respeito. Alicerçados na Palavra de Deus, declaramos nossa tristeza e pesar diante do fato. Além disso, declaramos que somos gratos a Deus por todos os serviços prestados pelo Pref. e sua família ao povo taioense.
Frisamos também nossa gratidão pelos diversos anos em que Seu Horst e Família (e Induma, fábrica de propriedade da família) gentilmente patrocinaram parte do programa Cinco Minutos com Jesus (CMCJ) que vai ao ar de segunda a sexta, pela Rádio Educadora AM (144o KHz).

À Dona Mirian e a todos os que, de coração, choram a morte do Seu Horst (filhos e familiares; amigos sinceros), nos colocamos à disposição: Eu, Pr Cézar Kaiser, em nome da Diretoria da Paróquia Luterana Paz de Taió e representando cada membro da Igreja Ev. Luterana do Brasil, digo: Nós oramos e desejamos que a presença de Cristo Jesus seja fonte de bênçãos para superar esse momento e viver!

Lembramos como Jesus consolou seus dispípulos quando estavam de luto, inquietos, amedrontados e duvidosos, e chegou a eles e disse: “Paz seja convosco”. Paz… quietação, serenidade, sossego… alívio! Foi Jesus que disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei.” (Mt 11.28).

Declaramos de púbico nossa solidariedade neste luto; que estamos à disposição; e prontos a repartir palavras de Jesus Cristo para acalentar os dias de luto, se assim desejarem os enlutados na medida em que os dias se passarem.
Deus abençoe e fortaleça!
Amém.

Pr. Cézar C. Kaiser
Em nome da Paróquia Ev. Luterana Paz de Taió, filiada à Igreja Ev. Luterana do Brasil - IELB

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

E agora? O Que fazer? O que será de nós?

Muitas coisas estão sendo ditas a respeito desta nova gripe - H1N1 ou, gripe A. Não sei como está a percepção geral, mas a minha aponta para um aterramento: a preocupação parece ímpar e em meio à população paira um princípio de pânico. O que fazer? O que será do nosso futuro?!
Não posso dizer outra coisa a não ser: não vamos fazer nada mais do que fizemos até aqui, porque “Até aqui nos ajudou o SENHOR” (1 Samuel 7.12), e não será diferente o nosso futuro. Vamos continuar contanto com o Senhor. Sua palavra “permanece para sempre” e afirma: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará”. Estamos apenas diante de “mais uma” ameaça trazida pelo mundo, o que não muda nossa fé e vida. Nossa vida continua a estar com Cristo, em Deus (Cl 3.3).
É preciso reafirmar: Deus é fiel em todas as suas promessas (Lucas 1.37). Ele não mudou suas promessas diante de todas as investidas do diabo contra Cristo, seus apóstolos e sua Igreja. Antes sim, revelou-se “Senhor absoluto” pelo triunfo de Cristo sobre o pecado e todo e o mal, inclusive a própria morte. Não vamos deixar, portanto, que passe pela nossa mente que Deus mudará suas promessas e atitudes em relação a nós por causa de uma gripe.
Vamos continuar a viver e a deixar nossa vida (família, trabalho, saúde, igreja) nas mãos de Deus. Não vamos olhar para os outros ou para mais uma ameaça que o mundo traz consigo e desesperar ou sentir insegurança. Vamos sim continuar fazendo o que fizemos até aqui: olhar para o Senhor.

Leia em sua Bíblia: Salmo 121


Rev. Cézar C. Kaiser - IELB
Paróquia Luterana "Paz" de Taió, Sc

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Uma placa na Lua


Eu tinha nove anos, mas as imagens preto e branco da televisão Admiral à válvula ainda estão fresquinhas na memória. Também não esqueço os meneios de cabeça da minha avó afirmando que aquilo era pura encenação para enganar os bobos. Acho que foi ela que espalhou a idéia da “farsa” do homem na Lua naquele 20 de julho de 1969 e até hoje tem discípulos. Em todo o caso, o que poucos sabem é que este satélite natural da Terra, distante 385 mil quilômetros, transformou-se no mais elevado púlpito. Após pousar no solo lunar com seu colega Neil Amstrong, Edwin Aldrin deixou uma pequena placa com o Salmo 8. Proibidos pela Nasa de qualquer manifestação religiosa, Aldrin expressou secretamente a fé cristã nestas palavras bíblicas: “Ó Senhor, nosso Deus, a tua grandeza é vista no mundo inteiro (...) Quando olho para o céu, que tu criaste, para a Lua e para as estrelas, que puseste nos seus lugares – o que é um simples ser humano para que penses nele? (...) No entanto, fizeste o ser humano inferior somente a ti mesmo (...) Tu lhe deste poder sobre tudo o que criaste; tu puseste todas as coisas debaixo do domínio dele”.

Já são 40 anos e desde lá muita coisa orbitou a Terra. A primeira televisão lá de casa nem sei que fim levou, a minha avó agora pisa as “estrelas do céu”, e a Lua continua refletindo a luz do astro rei. E mesmo se for invenção a tal placa do Aldrin, a grandeza de Deus permanece visível para todos os que contemplam a noite iluminada. Podem até proibir, mas nunca conseguirão esconder nem a Lua nem a glória do seu Criador. Igual a fé de alguns jogadores da seleção brasileira. No último jogo contra os Estados Unidos, a Fifa ficou buzina da vida. E agora estão todos avisados: se mostrarem Jesus nas camisetas, os atletas de Cristo serão punidos. Os homens da mídia têm “razão”, afinal quem banca as imagens são os patrocinadores e não Jesus. Será?

Outras cinco expedições seguiram depois a trilha do Apollo 11, e até hoje 12 pessoas caminharam no solo do satélite terrestre. Mas tem gente que continua duvidando desta história – o que não muda em nada a missão dos astronautas nem a vida dos céticos. Diferente da missão divina. Porque se a Lua foi “um pequeno passo para o homem mas um grande passo para a humanidade”, a Terra foi um significante passo para Deus mas um infinito passo para a humanidade. Refiro-me às pegadas de Jesus neste planeta. Muitos não acreditam que o Filho de Deus pisou este solo, que aqui deixou uma cruz vazia – que segundo Cristo interfere no destino eterno de alguém: “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado” (Marcos 16.16).

Amstrong e Aldrin deixaram oficialmente uma placa na Lua, presa a uma das pernas do módulo lunar. Ela diz: “Aqui, homens do Planeta Terra pisaram a Lua pela primeira vez. Viemos em paz em nome da humanidade”. Mera semelhança é pura coincidência, mas Jesus deixou a sua própria vida presa nas pernas da igreja com uma mensagem: “Deixo com vocês a paz” (João 14. 27).


Marcos Schmidt - pastor luterano
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
16 de julho de 2009

quarta-feira, 8 de julho de 2009

O choro pelo mundo


O mundo chora Michael Jackson. E você? Também chora?
Eu confesso: Não consigo. Não consigo chorar alguém que construiu Neverland.
Diz a Bíblia que Cristo veio presentear o mundo com o seu Reino, e o que o mundo fez com ele? Veio Michael Jackson e construiu Neverland, um Reino pessoal, proibido aos homens, fruto de fantasias e desejos psicologicamente duvidosos, e é consagrado pelo mundo!
Veio Jesus, chamando as crianças para abençoá-las e ajudá-las…e foi repreendido pelas pessoas. Vem um Michael Jackson trazendo polemicas negativas e uma vida duvidosa em relação às crianças… e é saudado e glorificado!
Jamais vou desejar a morte de alguém ou me alegrar com ela, mas confesso: Chorar… não consigo! …mas pensando bem, acho que vou chorar! Chorar diante de Deus em súplica, para que Ele tenha misericórdia de tantos que conseguem ver Michael Jackson e não conseguem ver o que está diante de si… o Criador; aquele que de fato é “o caminho, a verdade e a vida”, que se faz presente com todo seu amparo e bênçãos. Choro por àqueles que gastam tudo o que tem para ver o ídolo, mas negam centavos em favor de Cristo, da Igreja – da divulgação do Reino que Cristo quer repartir com o mundo!
Que bom que Cristo chorou… por nós! Que bom que verteu seu sangue e agiu com misericórdia! Que bom que ainda podemos voltar, perceber a verdade, e também chorar!
O reino de Neverland jamais vai ser teu (nem seu criador pode permanecer nele)… mas o Reino de Deus sim, este pode ser teu! O Senhor Jesus ainda lhe espera!

Pr. Cézar C. Kaiser – IELB
Paróquia Luterana “Paz” de Taió, Sc

Deus é o Senhor

As pesquisas revelam que cresce cada vez mais o número de pessoas que não acreditam em Deus. A certeza de sua existência, e que Ele zela por nós, está cada vez mais longe das pessoas. O lugar antes ocupado pelo SENHOR, nas orações em família, está sendo preenchido por conclusões próprias e pensamentos muito vagos a respeito de Deus.
Para aqueles que realmente são cristãos, todavia, Deus não é uma idéia, mas uma certeza que acompanha sempre. Pessoas cristãs procuram obedecer aos mandamentos do Senhor, o colocam como orientador de suas vidas.
“Eu sou o Senhor,” essa expressão se repete muitas vezes nas Escrituras. Não acreditar em Deus é como construir a casa na areia, que desmorona na primeira dificuldade. Confiar em Deus, porém, é como construir na rocha. Pode vir tempestades, mas essas não conseguem nos derrubar.
Por isso é importante sempre lembrar, seguidamente, que Deus está conosco, conduzindo os nossos passos, orientando pela sua palavra, e nos dando a oportunidade de servi-lo.
Não se associe, pois, às pessoas que engrossam a lista dos incrédulos. Continuem confiando em Deus, e jamais seremos desamparados.

Colaboração- Lúcia Tambosi
Membro da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB)
Comunidade "Martinho Lutero" de Rio do Campo, Sc

sábado, 16 de maio de 2009

Proridades...

Leia na sua Bíblia: João 15.26-27; 16.5-15


Certo professor, querendo demonstrar aos seus alunos como é importante eleger prioridades na vida, pegou um vidro de boca larga e colocou algumas pedras lá dentro. Então ele perguntou à classe: “Está cheio?” Todos responderam, unanimemente: “Sim!”.
O professor então pegou uma vasilha cheia de pedregulhos e despejou no vaso, os quais se alojaram nos espaços entre as pedras grandes. Então ele perguntou aos alunos: “E agora, está cheio?”. Desta vez alguns estavam hesitantes, mas a maioria respondeu: “Sim!”.
O professor então levantou uma lata e começou a derramar areia dentro do vaso. A areia preencheu os espaços entre os pedregulhos. Pela terceira vez o professor perguntou: “Então, está cheio?” Agora a maioria dos alunos estava receosa, mas novamente muitos responderam: “Sim!”.
O professor então mandou buscar uma tigela de água e despejou-a dentro do vaso. A água saturou a areia. Agora, sim, o vaso estava cheio.
O que o professor quis ensinar aos seus alunos com essa experiência era que as pedras grandes devem ser colocadas em primeiro lugar dentro do vaso. Caso colocasse as outras coisas primeiro na vasilha, não iriam conseguir colocar as pedras grandes lá dentro.


As pedras grandes são as coisas importantes da vida. Se a vida for preenchida somente com as coisas pequenas, as coisas realmente importantes não terão espaço.
Em Efésios 5, o apóstolo Paulo diz: “não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”. Em Gálatas 5 (22-23) ele explica dizendo: “…o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”.
Quando a grande prioridade da nossa vida é nos abastecer com o Espírito Santo, então todas as bênçãos e conseqüências da Sua habitação estarão presentes e serão marcantes em nosso coração: surgirá paz, alegria, amor, paciência, bondade e domínio próprio… e tudo isso em constante crescimento e aperfeiçoamento.
Além disso, disse Jesus que o Espírito Santo guia em toda a verdade e a toda verdade, opera a fé no coração, chama, congrega, ilumina, santifica…
Por isso, antes de subir ao céu, Jesus, que jamais abandonaria àqueles por quem ele deu sua vida, diz: “convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei”. (Jo 16.7).
E o que Jesus disse Ele cumpriu no dia de Pentecostes, como ouvimos antes na Leitura de Atos cap.2: Jesus enviou o Espírito Santo, os discípulos ficaram cheios do Espírito Santo: entenderam muitas coisas que antes não compreendiam, receberam dons diversos, coragem, domínio próprio, paciência, persistência, forças sem medida…
E este Espírito Santo não foi prometido e enviado apenas aos 12 discípulos de Jesus, mas sim para se fazer presente até o fim dos tempos. Em outro texto o apóstolo confirma isso. Falando aos cristãos da igreja, ele diz: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1 Co 3.16).
“Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita. …Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. …Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados. …Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste [hoje] em nossa fraqueza;” (Rm 8.11,14,17).
Se você estiver enfermo, preocupado, angustiado, endividado, triste, deprimido, diante de uma situação de briga, inimizade… lembra disso! Especialmente diante da morte e eternidade…
“Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele [Jesus!] que nos amou” (Rm 8.37), diz o Apóstolo.
Quando nós dizemos “não consigo mais”, é que começa a ação de Deus, e todo e qualquer problema têm sua solução. O pecado tem solução. Até a morte tem solução.
Quais são as suas prioridades... ?
Deus - a rocha - nos deu uma pedra grande, que ofereceu sua vida por nós, e nos enviou uma pedra grande para nos acompanhar até o fim dos tempos, pelo qual podemos experimentar e viver maravilhosos frutos de sua presença: “… amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio”. É com isto [as três pedras] que dizemos: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.13).
Ponha a pedra grande primeiro. Use a Palavra, não dispense o culto, a Santa Ceia… ore, confie.
No Santo Espírito Consolador, a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e as vossas mentes em Cristo Jesus. Amém.

Pr. Cézar C. Kaiser – IELB
Taió, maio de 2009

sexta-feira, 13 de março de 2009

Havia um homem que, apesar de ter muito dinheiro, esposa e filhos maravilhosos, resolveu um dia sair pelo mundo em busca da Verdade. Conversou sobre isso com a mulher, providenciou para que nada lhe faltasse durante sua ausência, e saiu pelo mundo. Andou durante muitos anos perguntando sobre a Verdade pelos quatro cantos da Terra. Até que um dia alguém apontou uma montanha para ele e disse: “Lá em cima tem uma gruta. Dizem que é onde mora a Verdade.” O homem subiu e encontrou uma velha suja e maltrapilha sentada na entrada da gruta. “Você é a Verdade?”, ele perguntou, e ela respondeu que sim numa voz tão cristalina e encantadora, que o homem não teve dúvida de que estava diante da própria. Resolveu ficar ali morando com ela e aprendendo mais sobre a vida e as coisas. Passado um bom tempo, sentiu finalmente saudades de casa e resolveu voltar. A Verdade não se opôs. Ao de despedir, o homem perguntou: “O que eu poderia fazer por você depois de tudo o que você fez por mim?” A Verdade parou um pouco e pensou. Depois levantou o seu dedinho de velha e disse: “Quando perguntarem sobre mim, diga que eu sou jovem e bonita...”
Engraçado, mas triste, pois essa historinha revela a natureza humana, sempre atrás de “novas verdades”, rejeitando a Palavra de Deus. E, como fez desde o princípio, torna a fazer: volta às costas a Ele. Mas o pior é que muitas ‘verdades’ andam sendo ditas em nome de Deus... Quantos não vendem e mercadejam Deus, prometendo coisas espetaculares e maravilhosas que nem mesmo Deus prometeu??? Cristo veio para pagar a dívida do nosso pecado, e isso Ele fez ai morrer na cruz. As bênçãos materiais – curas, prosperidade, etc – Ele as dará a seu tempo e a seu modo conforme sua Santa Vontade... Fazer de Cristo um mero curandeiro ou financista que resolveu meus problemas com dinheiro, é no mínimo fazer pouco de toda sua obra redentora na cruz!
Estamos na época da Quaresma, época que nos prepara para os acontecimentos da Semana Santa, tempo propício para meditarmos nos sofrimentos e na morte de Cristo em nosso lugar. Essa reflexão nos leva a reconhecermos que a culpa de tal sofrimento foi nossa, e Cristo mesmo disse que segui-lo requer também que cada um “tome sua cruz” e abnegadamente suporte as aflições que uma vida dedicada a Deus traz. “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8. 32) E Jesus se apresenta a nós dizendo: “Eu sou o Caminho, a VERDADE e a Vida, ninguém vem ao Pai senão por mim!” (João 14. 6). Se Cristo é o Caminho, Verdade e Vida, por que escolher o atalho da mentira que leva a morte??? Pense nisso.

Um abraço,
Pr. Edemar Drews Fuhrmann - Santa Cruz do Sul, RS.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Profissões de Fé

Nos alegramos no Senhor a cada ser humano, amado por Deus, que se mostra voluntário em servir ao Senhor no trabalho de sua Igreja. Em janeiro, 11 pessoas fizeram sua profissão de fé no recém inaugurado Templo em Rio do Campo. Que Deus os abençoe! Sejam bem vindos.


quarta-feira, 4 de março de 2009

Darwinismo e Cristianismo


Deus criou o mundo ou ele surgiu através de uma explosão casual? As coisas se formaram num processo evolutivo de bilhões de anos ou Deus fez as coisas adultas a partir do nada? O ser humano foi criado a imagem e semelhança de Deus ou evoluiu do macaco?
Essas são algumas perguntas que revelam oposição entre o darwinismo e o cristianismo.
No dia 12/02 comemorou-se o bicentenário de Charles Darwin. Muitas de suas idéias são úteis para a humanidade, no entanto, uma série de escritos permaneceu apenas como teorias e hipóteses.
As questões sobre a origem da vida não revelam oposição entre ciência e religião, afinal, nada sobre a origem foi comprovado ou pode ser reproduzido em laboratório. Por isso, é preciso tanta fé para crer no cristianismo como no darwinismo. Porém, é preciso pouca análise para descobrir que há muitas diferenças entre ambos.
Darwin expôs a seleção natural, onde os mais fortes deveriam exterminar os mais fracos de corpo e de mente, para que houvesse evolução. Assim, em seu raciocínio, ele anuncia a eliminação de alguns. Jesus prega a misericórdia, o amor, o respeito, a consideração, a inclusão. Em Cristo, a ajuda aos menos favorecidos revela força, não tanto do corpo e da mente, mas especialmente do Espírito.
Existe ainda uma contradição que torna estas duas teorias irreconciliáveis, separadas tal qual água e óleo. A maior oposição das crenças está na obra de Jesus e na razão de sua vinda ao mundo.
Acompanhem o raciocínio: Se o homem é conseqüência de um processo evolutivo, como o darwinismo expõe, então não houve queda em pecado como o cristianismo ensina. Se não houve queda em pecado, Cristo não precisaria morrer e ressuscitar para realizar a redenção, pois a redenção aconteceria por meio de um processo evolutivo. Logo, a obra de Cristo não teria sentido.
Sendo assim, não há como acreditar nas teorias de Darwin e ao mesmo tempo crer em Jesus. Um anula o outro!
Eu acredito em um Deus Bondoso e Poderoso. Creio no Deus Criador. Creio que o Mal e a Morte entraram no mundo pelo pecado humano, por uma má escolha. Creio que Jesus veio ao mundo com o propósito definido! Creio que Ele pagou pelo nosso pecado e que morrendo e ressuscitando conquistou-nos a salvação e a vitória sobre a segunda morte – garantindo aos que nele crêem, a perfeita e completa evolução.
Creio em Jesus de coração e também com a própria razão e entendimento, apesar de não utilizar todos os 100% de capacidade mental, os quais, creio eu, eram usados por Adão, antes da queda em pecado. Afinal, era Adão que administrava as muitas espécies de animais, dando inclusive nomes a eles (Gn 2.19-20), animais estes que fascinaram o estudioso Charles Darwin, cientista que reverenciou a natureza tentando inutilmente desvinculá-la de seu Criador.

Pastor Ismar Lambrecht Pinz
Igreja Luterana Cristo Redentor / Três Vendas / Pelotas

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Razões para crer, confessar… e ofertar


A igreja possui características fundamentais. Dentre elas, como fundamento e grande destaque, está a Palavra de Deus. Dentre as incontáveis bênçãos que partilhamos a partir da Palavra de Deus está a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, o que aliás, nos faz ser Igreja.
1 Ts 5.9-10: “porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos em união com ele”.
Jo 20.31: Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.
No livro de Judas v.3 nos é anunciado: “Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (Jd 3).
Aqui em Judas como também em alguns outros textos da Bíblia (At 6.7; Gl 1.23; Jd 20, etc) a palavra fé engloba muitos assuntos além da Salvação em Cristo que deve ser crida. Podemos até chamar esta fé de doutrina cristã.
A fé não é algo isolado ou avulso: Não dá pra dizer “creio em Jesus”, ignorando ou separando outras coisas, como se fossem adiáforas.
Fé em Cristo tem haver com tudo o que Cristo nos deu e ensinou – doutrina.
O apóstolo Paulo afirma quando escreve aos Coríntios: “Irmãos, venho lembrar-vos o evangelho que vos anunciei, o qual recebestes e no qual ainda perseverais; por ele também sois salvos, se retiverdes a palavra tal como vo-la preguei, a menos que tenhais crido em vão.” (1Co 15.1-2). “Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Co 15.3-4). Somos convidados a perseverar no evangelho até o fim de nossas vidas.
Depois de falar de perseverar no evangelho, Paulo vai falar de ressurreição [de Cristo e da nossa], da vinda de Cristo no juízo final, da nossa luta diária como cristão, do abster-se de fofocas e sim falar coisas que convém, etc, …fala do todo: fé em Cristo envolve toda a vida, tudo o que Jesus ensinou.
Por esta razão, os primeiros cristãos, como diz em Atos, faziam o seguinte: “E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo” (At 5.42).
At 2.41-47: “Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas. 42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43 Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. 44 Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. 45 Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. 46 Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, 47 louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos”.
Isto é fé. Crer sempre esta unido ao praticar.
É como o Apóstolo diz em 1 Co 10.15-17: “Falo como a criteriosos; julgai vós mesmos o que digo. 16 Porventura, o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo? 17 Porque nós, embora muitos, somos unicamente um pão, um só corpo; porque todos participamos do único pão”.
Você partilha do corpo e sangue de Cristo? Você persevera nisto? Então você é de Deus. Partilhar de Cristo significa SER DE DEUS / SALVAÇÃO!
Aí vem o que disse o próprio Jesus: “Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. ...” (Mt 5.13-14ª).
E como sal, como luz do mundo – somos convidados a viver de livre vontade a nossa fé para mostrar ao mundo o Salvador e toda sua obra. Honramos a Jesus e tudo o que fez mostrando na prática o valor que isso tem.
E isso tem um grande objetivo: “para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo, preservando a palavra da vida, para que no dia de Cristo, eu me glorie de que não corri em vão, nem me esforcei inutilmente” (Fp 2.15-16).
É por isso que dizemos que somos mordomos de Deus. Somos de Deus! Para ser sal e luz em meio à geração pervertida e corrupta.
Por tudo isso Jesus diz: “Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; [e falando para os judeus que não receberam suas palavras e sua presença ele diz:] por isso, não me dais ouvidos, porque não sois de Deus (Jo 8.47).
Esta pode ser uma palavra dura! Ou não.
Fé envolve confissão, comunhão em Cristo e em tudo que vem dele, comunhão na doutrina… para que nossa vida mostre luz, mostre que Cristo é tudo, e mais importante do que qualquer outra coisa…
É como Jesus disse: “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; 20 mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; 21 porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt 6.19-21).
O teu coração guarda para quê? Para onde? Para terra ou para o céu?
Como diz: “pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7).
Você semeia para o céu ou para a terra (o aqui e agora, o materialismo)?
Por isso a Escritura Sagrada engloba todas as questões da vida. Somos de Deus de forma integral! E nisso a Escritura engloba e enfatiza também a oferta. De certa forma ela é como um termômetro que indica como está nossa “saúde”, a nossa fé.
“E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. 7 Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2 Co 9.6-7). “…cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade… (1 Co 16.2).


Ofertamos por que:
1) Deus nos salvou em Cristo Jesus, e agora somos dele.
2) Oferta, como muitas outras doutrinas, fazem parte da fé, do evangelho no qual somos movidos a perseverar.
3) É uma forma de ser luz e sal em meio aos da “geração pervertida e corrupta”, testemunhando onde está o verdadeiro tesouro.
4) É um reflexo do coração: “onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração”.
5) É um reflexo do que nos é Prioridade: (Ex. Caim e Abel. Abel
trouxe das "primícias do seu rebanho", enquanto Caim, por sua vez, trouxe "alguns dos frutos da terra." O Senhor abençoou a oferta da Abel, mas rejeitou a de Caim.)
“Ao entrares na terra que o SENHOR, teu Deus , te dá por herança, ao possuí-la e nela habitares, 2 tomarás das primícias de todos os frutos do solo que recolheres da terra que te dá o SENHOR, teu Deus, e as porás num cesto, e irás ao lugar que o SENHOR, teu Deus, escolher para ali fazer habitar o seu nome.” (Dt 26.1-2)
6) É um privilégio que gera alegria e salvação. Para que nós mesmos e mais e mais pessoas possam ouvir o evangelho e encontrar o caminho de volta para Deus. Pois nossas ofertas movimentam toda a missão de Deus.
Ex: 2 Co 8.2-4: “Porque , no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da generosidade. Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários, 4 pedindo-nos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência aos santos.”
7) É uma bênção: A igreja e o reino de Deus são abençoados com as ofertas do povo de Deus, e também é da natureza de Deus abençoar o doador.
Malaquias 3.10: “Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.”
“2 Coríntios 9.7-11: “…porque Deus ama a quem dá com alegria. 8 Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra, 9 como está escrito: Distribuiu, deu aos pobres, a sua justiça permanece para sempre. 10 Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça, 11 enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus.”
Deus nos abençoou – somos benção: Deus nos abençoa – somos bênçãos; Deus nos abençoa – somos bênçãos; Deus nos abençoa – somos bênçãos; …desejo de todo coração que esta corrente seja parte da vida de cada um de nós.

Pr. Cézar C. Kaiser – IELB
Taió, fevereiro de 2009.



quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

A GUERRA DE ISRAEL


Se Abraão tivesse esperado um pouco mais na promessa de Deus, quem sabe, as coisas seriam diferentes lá na Faixa de Gaza. Aventurou-se e teve um filho fora do casamento. E depois as coisas nunca mais se ajeitaram entre os descendentes de Sara e de Agar. Instigante a profecia divina sobre Ismael, fruto desta relação extraconjugal e antepassado do povo árabe: “Esse filho lutará contra todos, e todos lutarão contra ele” (Gênesis 16.12). Complicado querer justificar as guerras de Israel com tal deslize de Abraão – e por tabela, todos os nossos infortúnios por causa da desobediência do primeiro casal. A gente gosta de se fazer de vítima, de dizer: “eu sou assim por isto e por aquilo”. Mas, impossível negar que tudo tem um ponto de partida. O final, no entanto, pode ser diferente, e isto depende de cada um. No caso do povo de Israel, as páginas do Antigo Testamento estão lá e ninguém pode arrancá-las da Bíblia. Deus tinha um propósito na vida de Abraão: “Por meio de você eu abençoarei todos os povos do mundo” (Gênesis 12.3). Esta bênção é Jesus, a 42ª geração de Abrãão. No entanto, ao cumprir-se a promessa nas campinas de Belém, o Deus de “todos os povos” está indevidamente protegido sob os arrogantes muros da “santidade”. Por isto a insistência de Jesus em suas pregações contra esta absurda idéia de um povinho exclusivo e especial. E para arrancar a máscara da pureza, o Salvador entra na casa de gente excluída, em cidades de gentios – descendentes do filho bastardo de Abraão – e escandaliza os “donos de Deus”.
O problema em Gaza não tem solução, assim como todas as guerras neste planeta dividido em cercas territoriais. É pura ilusão pensar que um dia teremos o fim dos conflitos atráves de acordos e tratados políticos entre as nações. Aliás, guerra por guerra, qual a diferença entre Gaza e a criminalidade que nos ronda? O Brasil tem 50 mil homicídios por ano, 10% do mundo. É a nação que mais comete assassinatos. Tem solução? A única encontrada é colocar mais policia nas ruas, contratar segurança, construir presídios. É o que fazem as nações que investem em sofisticadas armas, transformando a guerra na indústria que mais gera lucro. Incrivelmente, o jeito humano para a paz é a própria guerra.
Mas, se olharmos em outra direção, a Faixa de Gaza têm jeito. Está nas palavras de Jesus: “Deixo com vocês a minha paz, a minha paz lhes dou, não como o mundo costuma dar” (João 14.27). Está na profecia do Natal: “As botas barulhentas dos soldados e todas as suas roupas sujas de sangue serão completamente destruídas pelo fogo. Pois já nasceu uma criança, Deus nos mandou um menino que será o nosso rei... Ele será chamado de Príncipe da Paz” (Isaías 9.5-6). Gaza, o mundo, e a vida de cada um, têm remédio, sim. Está na oração: “Que a paz que Cristo dá dirija vocês nas suas decisões” (Colossenses 3.15).


Pastor Marcos Schmidt
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
15 de janeiro de 2009

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

O Sol do Natal


Os catarinenses necessitam de consolo no sentido literal da palavra. Consolo vem do latim cum + solis que significa “com sol”. No lugar da chuva, do céu nublado, é o brilho do Sol que eles mais precisam. Na verdade, o consolo sempre vem de cima, de alguém ou de alguma coisa que tem o poder de ajudar. Por isto a solidariedade, isto é, a ação de solidar, de oferecer solo para os que perderam o chão em todos os sentidos. A única solução – arrisco dizer que solução significa “ação do Sol” – aos catarinenses flagelados é o cum solis.

Cedo ou tarde, todos precisam de consolo. Nuvens pesadas e chuvas torrenciais são a coisa mais certa. Ninguém escapa! Diante desta certeza, a pergunta: temos um plano de emergência, uma “defesa civil” em estado de alerta? Parece que este foi o problema lá em Santa Catarina. A maioria não conhecia o chão onde pisava, nem estava preparada para a catástrofe. Percebe-se que o consolo eficaz é aquele que está à disposição igual aos botes salva-vidas num navio. Interessante dizer que o nome “Noé” vem da mesma raiz na língua hebraica do Antigo Testamento para “consolo” (Gênesis 5.29). Conhecemos a história deste pregador que prenunciou o Dilúvio por 120 anos e construiu um grande navio para salvar. O registro bíblico diz que a maioria zombou de Noé chamando-o de louco. Até hoje esta história é tida como um mito. Conclui-se com isto que sem fé o consolo perde a eficácia de resgatar.

Outro episódio marcante na Bíblia que fala de consolo é a escravidão do povo de Judá na Babilônia. Pode parecer assustador, mas os judeus foram avisados da tragédia. Bem antes do flagelo quando perderam pátria e liberdade, o profeta anunciou: “O Senhor, nosso Deus diz: Consolem, consolem o meu povo” (Isaías 40.1). Tais palavras divinas foram uma previsão meteorológica alertando: preparem-se para o temporal que se arma no horizonte, mas eu estou aqui e não os abandonarei. Isto aconteceu uns 600 anos antes de Cristo, e parecido com a história de Noé, a maioria do povo duvidou e rejeitou o consolo.

João Batista foi outro pregador do consolo: “Arrependam-se dos seus pecados porque o Reino do Céu está perto” ( Mateus 3.1). O evangelista lembra que “a respeito de João o profeta Isaías tinha escrito o seguinte: Alguém está gritando no deserto: Preparem o caminho para o Senhor passar!” Tais palavras vêm logo após o “consolem, consolem o meu povo”. Por isto João Batista é o famoso personagem do Advento – este período cristão que orienta para a verdadeira celebração do Natal.

Lembro tudo isto para perguntar: onde está o consolo neste Natal que vem chegando? Compras, presentes, festas – isto parece ser a salvação de vidas encobertas sob coisas, vidas sem sol. Aliás, os cristãos escolheram o 25 de dezembro – dia quando os gregos antigos lembravam o nascimento do deus-Sol – exatamente para alertar que coisas e criaturas jamais poderão consolar.


Pastor Marcos Schmidt
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
11 de dezembro de 2008

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Noites de Advento





Estão acontecendo nos primeiros três finais de semana do Advento, as noites de Advento.
São momentos, regados à luz de velas, para preparar o coração para o Natal. A reflexão deste ano tem como objetivo o estudo de algumas profecias messiânicas, no fortalecimento do significado e importância do Natal.
As fotos são de três diferentes noites, em diferentes congregações.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Call Center Divino


Ouvi falar de um tal de call center. Não sabia o que era. Quando descobri do que se tratava constatei que eu já conhecia, mas não sabia que se chamava assim: call center. Procurando uma definição, li que é um sistema telefônico computadorizado que permite atendimento de múltiplas entradas a partir de um único número. Numa linguagem popular é aquele serviço telefônico que muitos se aborrecem de usar. Você liga e escuta uma voz gravada, fria e inatingível. Quando então consegue falar com uma atendente, você tem a impressão de que tudo continua frio e previsível. Uma voz melosa e falsa do outro lado repetindo frases como: “um momento senhor” “desculpe senhor”, “sua ligação é importante para nós”!
Ouvi a expressão call center porque foi divulgada pela mídia a aprovação do decreto 6523, que criou regulamentações para tornar o serviço mais eficiente ou menos chato. A verdade é que este tal serviço é chato porque é demorado, artificial e muitas vezes ineficiente.
E se comparássemos a “oração” com uma “ligação telefônica”. E se comparássemos o atendimento de Deus com um call center, será que haveria pontos comuns? Uma comparação possível é a possibilidade de atender uma infinidade de ligações através de um mesmo número. Não sei como este sistema pode ser tão eficiente, mas de fato, Deus recebe e escuta todas orações, mesmo sendo bilhões a orar ao mesmo tempo. Porém, não existe nenhuma regulamentação quanto ao tempo de sermos atendidos. Deus é quem controla quando e como vai nos atender. O interessante é que é sempre do melhor jeito e sempre no tempo certo! Por isso que dizemos “amém” com tanta segurança.
Ao contrário dos call centeres, na oração, não temos uma resposta artificial e fingida. Bem pelo contrário! Deus oferece eficientíssimo serviço através de sua forte, sincera e poderosa Palavra: a Bíblia. Por isso, seguindo a idéia dos números telefônicos, deixarei alguns para você eventualmente ligar. Quando você estiver triste, ligue: Jo 14. Quando pessoas falarem de você, ligue Sl 27. Quando você estiver nervoso, ligue Sl 51. Ansioso e preocupado? Ligue Fp 4.6-7 ou Mt 6:19,34. Quando você estiver em perigo, ligue Sl 91. Quando Deus parecer distante, ligue Sl 63. Quando sua fé precisar ser ativada, ligue Hb 11. Está sentindo medo ou solidão? Ligue Sl 23. Quando você for áspero e crítico, ligue 1 Co 13. Para saber o segredo da felicidade, ligue Cl 3:12-17. Quando se sentir abandonado, ligue Rm 8:31-39. Para encontrar descanso, ligue Mt 11:25-30.
O Call Center Divino é realmente excelente! Além disso, não há outra regulamentação além da fé!
Pastor Ismar Pinz
Congregação Cristo Redentor – Pelotas, RS.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

O Advento chegou


Quando João Batista nasceu, seu pai Zacarias, cheio do Espírito Santo (cf. Lc 1.67), profetizou. Você pode ler a profecia em Lucas 1.68-79. A primeira parte de seu cântico profético (68-75) apresenta o motivo pelo qual está feliz, o objetivo da existência do seu filho João... o Senhor Deus virá... o Salvador está chegando! O seu filho João terá a honra de preceder o Senhor e lhe preparar o caminho.
E assim aconteceu.
Advento é isto: tempo de preparar o coração para o Natal. Advento faz-nos lembrar do grande presente que Deus nos deu: O Salvador Jesus!
Deus abençoe teu coração... teu período de Advento.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A força da água e do vento

Um vento forte tem sido a marca do clima dos últimos dias aqui na nossa região. Já o estado de Santa Catarina e parte da região sudeste do país vivem verdadeiras catástrofes devido as fortes chuvas. Muitos observaram as águas levando os seus pertences. Observaram impotentes, como que de mãos amarradas, pois o que fazer diante de um rio subindo e ganhando mais força em meio a uma chuvarada?
Em enchentes, a água ganha força, muita força! Mas, existe um momento em que a água é ainda mais forte. Existe um momento em que a água possui mais poder – este momento é no Batismo. Ali, a poderosa Palavra de Deus está ligada à água. No Batismo, a bem da verdade, o poder não está na água, mas na Palavra que nela está ligada, pois não é Palavra comum, é a própria Palavra de Deus.
No Batismo somos regenerados, renascemos perante Deus. Não é pouca coisa o que isso significa. Não são poucos os pecados que nos separam de Deus. Não é de pouca importância o pecado que herdamos de nossos pais. Mas, o poder da água, ou melhor, o poder da Palavra de Deus ligada à água garante-nos o perdão. Toda vez que o indivíduo é perdoado, mesmo muito tempo depois do seu Batismo, é como se ele retornasse àquele momento em que a água lhe tocou o corpo, em que a Palavra de Deus foi semeada em seu coração. A água do Batismo é como uma enxurrada que pela força da Palavra de Deus arranca as impurezas de nosso coração. Mas, a força da água ligada à Palavra é um pouco diferente da força das enchentes. A diferença é que ela tem um poder criador – ela cria a fé, ela dá nova vida. Exatamente por isso ela é mais poderosa. Enchentes, vendavais, ações humanas podem destruir e matar, mas dar nova vida, isto é tarefa divina!

Toda e qualquer tarefa divina é realizada pela Palavra de Deus! Os discípulos de Jesus, que certa vez enfrentaram a força de uma tempestade em meio ao mar da Galiléia, já estavam desesperados com a força dos ventos e das águas. Jesus, por sua vez, dormia. Eles o acordaram pedindo socorro. "Então ele se levantou, falou duro com o vento e disse ao lago: Silêncio! Fique quieto! O vento parou, e tudo ficou calmo. (Mc 4.39)". Ali, diante deles, estava uma tarefa, uma ação divina!
Que o poder da Palavra de Deus, que criou todos os elementos como a água, o ar, o fogo e a terra, acalme as tempestades e enchentes de nossas vidas, concedendo-nos força na reconstrução, mesmo em meio às catástrofes!

Pastor Ismar Lambrecht Pinz
Congregação Cristo Redentor – Bairro Três Vendas – Pelotas, RS.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Cinco Minutos com Jesus - Áudio



Segue um link para descarregar um pacote com 5 mensagens em mp3. A de sexta contém recados locais, mas as de segunda a quinta estão "limpas", e podem ser inclusive repassadas a amigos.
Deus o abençoe !

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Greve contra Deus...

A Greve é um recurso utilizado para conseguir mostrar para a sociedade situações que são consideradas injustas. Estamos vivenciando mais uma greve dos professores estaduais que novamente lutam por melhores condições na educação.
Praticamente toda classe de trabalhadores realiza greves. No entanto, faço a seguinte pergunta: alguém já fez uma "greve contra Deus"? Alguém já clamou por situações consideradas injustas no relacionamento com Deus?
Muitos perguntam: "onde estava Deus quando precisei?" Outros acusam: "Deus é injusto!" Contudo a verdade é que normalmente atribuímos a Deus a culpa das nossas próprias falhas, ou o culpamos pelas injustiças das outras pessoas. Outras vezes acreditamos naquilo que Deus não prometeu.
Fico entristecido com a ladainha de pastores e religiosos afirmando que se as pessoas os procurarem, desemprego, problemas na família, dívidas e doenças desaparecerão. Tais discursos fazem de Deus um fantoche a ser manipulado e vendido! Os falsos ensinamentos estão inundando as igrejas e gerando "greves" contra Deus.
As greves são justas ou injustas. Tudo depende do ponto de vista. A princípio, todas as greves contra Deus seriam injustas, no entanto, na sua divina sabedoria, Deus aguarda manifestações, Deus aguarda pessoas que lhe procurem, que lhe abram o coração, que lhe questionem. O rei Davi, que foi chamado de "homem segundo o coração de Deus" (At 13.22), era uma pessoa que abria o coração ao Senhor. Suas palavras e manifestações eram genuínas. Deus se alegrava com isso! Pois encontrava em Davi um coração sincero, um coração quente! Por isso, se é para fazer greve contra Deus, que seja uma greve cheia de manifestos, de reivindicações, e, sobretudo, uma greve que aposta no fato de que Deus espera que o procuremos, que Deus está pronto para conversar. Temos a promessa divina, que diz: "Invoca-me no dia da angústia, eu te livrarei e tu me glorificarás"(Sl 50.15).
O Senhor Deus quer ser ouvido, e igualmente quer ouvir nossas reivindicações. Em seu amor, Deus se mostra incrivelmente flexível! Tanto que deixou a glória celeste e fez-se gente em Jesus. O Senhor Jesus fez suas manifestações contra o que considerava injusto, Ele fez greve de silêncio perante os malfeitores (Mt 26.63), fez greve de milagres perante os incrédulos (Mt 12.39), mas jamais faz greve em seu amor - pois seus cuidados são constantes para todos, em especial para aqueles que o temem e o buscam em fé.

Lembrança: OBS: Quinta-feira (27/11) é dia de Ação de Graças – dia oficial do Agradecimento! Nada de greve de gratidão!

Pastor Ismar L.Pinz
Congregação Cristo Redentor de Pelotas, RS.


terça-feira, 18 de novembro de 2008

Salmo 23



O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará.
Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso;
refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.
Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.
Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda.
Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Templo da IELB em mais um Município Brasileiro


Para a glória de Deus, dia 26 de outubro foi inaugurado o Templo Luterano na cidade de Rio do Campo, região central de Santa Catarina, e dedicado ao Senhor Deus - para a pregação pura e clara da Palavra; uso e administração dos Sacramentos, e para oferecer ao Senhor súplicas e ações de graças.

A missão começou oficialmente em 2003, com reuniões nas casas de famílias.

Após muito amor, trabalho e dedicação, sob muita expectativa e emoção, o Templo foi inaugurado com a presença de 170 pessoas, inclusive autoridades municipais. Oficiou a inauguração o pastor local, Pr. Cézar C. Kaiser. Na ocasião também foram dedicados todos os móveis e vasos sagrados. Glórias sejam dadas a Deus, o Senhor!



Este foi o momento inicial, contemplando a abertura de portas e entrada no Templo.



Esteve presente o coral "São Paulo" da Comunidade Ev. Luterana "São Paulo", da localidade de Rib. do Salto, Taió. Embelezaram o culto e trouxeram louvor a Deus e reflexão aos presentes.
Ao coral também nossa gratidão.

No momento da pregação da Palavra, foi enfatizado o Fundamento da Igreja.
Algumas palavras da conclusão: "Aqui, portanto, será estudada, pregada, aplicada e crida exclusivamente esta fonte: A Bíblia. Trabalharemos sob este lema: Cristo para todos. Sob estes princípios: Somente pela graça, somente pela fé, e somente pela Escritura". Estas palavras já mostram o que foi explicado na pregação.

Aconteceu também, neste culto, a lembrança das Bodas de Oliveira - 34 anos de matrimônio, do Seu Genésio e Dna Lúcia.

Foram abençoados por Deus e desejamos a eles muitos e muitos anos ainda, sempre com o Senhor Jesus.


Da esquerda para a direita: Lúcia Tambosi, representando a Comunidade Luterana Local; Edson Krueger, representando a Paróquia e seu presidente; Seu "Duda", prefeito municipal de Rio do Campo; representante da Camara de Vereadores (os quais estavam em sua maioria presentes); Pr. Cézar C. Kaiser, pastor da Comunidade.

Este foi o momento das palavras finais e agradecimentos. Faltou aqui a presença da Sra. Erondina, de Sinop, MT, irmã da Lúcia, que emocionou a todos com o seu testemunho, e que veio de Sinop para este momento de inauguração.


Este foi o momento final, logo após o culto. A maioria dos participantes do culto está na foto.
Após este momento aconteceu o momento de confraternização e almoço, com muita alegria e satisfação.
Que Deus abençoe esta casa! Que pessoas possam ser abençoadas por Deus em sua Palavra e Sacramentos.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Cinco Minutos com Jesus - Áudio


Segue mais um pacote com 5 mensagens de 5 minutos. Ao final da mensagem de sexta-feira estão recados locais. Já as mensagens de segunda a quinta são "limpas", sobre o assunto "Redenção", retiradas do livreto "Eu creio" publicado por CPTN.
Basta baixar o pacote e ouvir...
Deus os abençoe!

Ênfase do trabalho da IELB em 2010

Ênfase do trabalho da IELB em 2010